O porquê das certificações

Um produto pode afirmar-se como não testado em animais, mas ter usado ingredientes que foram testados ou dizer que é natural, quando na verdade a sua fórmula está repleta de químicos e conservantes. Porque não existe regulamentação específica na produção da cosmética natural e biológica, as certificações são por isso uma forma de assegurar ao consumidor final a autenticidade e qualidade do produto.

 

Procuramos sempre produtos que tenham certificações independentes que asseguram que não são testados em animais. Todos os nossos produtos possuem por isso a certificação Leaping Bunny (da Cruelty Free International - CFI), que assegura que os produtos e os seus ingredientes não foram testados em animais. A Pronatural está certificada como Cruelty-Free Retailer pela CFI.

 

Os produtos disponíveis na Pronatural são também vegan (não têm ingredientes de origem animal) e biológicos.

 

Os produtos certificados, regra geral, estão identificados com os logos das entidades certificadoras. A certificação Leaping Bunny garante que nem o produto nem nenhum ingrediente presente no produto foi testado em animais; as certificações biológicas (como a Ecocert, a Soil Association ou a USDA) asseguram a utilização de ingredientes de origem natural e biológica (a percentagem dos ingredientes biológicos varia de produto para produto); e a certificação Vegan é colocada em produtos que não têm ingredientes de origem animal.

 

 

Algumas certificações:


leapingbunnyLeaping Bunny
– o programa Leaping Bunny assegura que produtos cosméticos, de higiene pessoal e de higiene doméstica não foram testados em animais em nenhuma fase do seu desenvolvimento (nem pela empresa, nem por laboratórios, nem por fornecedores). Saiba mais em www.gocrueltyfree.org

 

 

EcocertEcocert (França) – a certificação Ecocert garante que os produtos não possuem ingredientes poluentes, geneticamente modificados, parabenos, fenoxietanol, PEG, perfumes sintéticos, corantes, etc. Para obter a certificação “organic cosmetic” da Ecocert, o produto tem de ter um mínimo de  95% de ingredientes de origem natural, 95% dos ingredientes vegetais de origem biológica e 10% de todos os ingredientes de agricultura biológica. Saiba mais em www.ecocert.com

 

CosmebioCosmebio (França) – nasceu em 2002 de uma parceria entre dez laboratórios cosméticos decididos a estabelecer uma Carta para a fundação de uma indústria de cosméticos ecológicos e naturais que usam ingredientes de agricultura biológica. Para obter a certificação “Bio” da Cosmebio, o produto tem de ter um mínimo de 95% de ingredientes de origem natural, 95% dos ingredientes vegetais de origem biológica e 10% de todos os ingredientes de agricultura biológica. Saiba mais em www.cosmebio.org


soilassociationSoil Association (Reino Unido)
– para que um cosmético obtenha a certificação biológica da Soil Association tem de ter um mínimo de 95% de ingredientes biológicos (excluindo água). Com um mínimo de 70% de ingredientes biológicos o produto obtém a certificação “feito com xx% de ingredientes biológicos”. Saiba mais em www.sacert.org

 

 

usdaUSDA (EUA) – para que o logótipo USDA biológico possa constar na embalagem de um produto, esse produto deve conter um mínimo de 95% de ingredientes biológicos (excluindo água e sal). Com um mínimo de 70% de ingredientes biológicos o produto obtém a certificação “feito com xx% de ingredientes biológicos”. Saiba mais em www.usda.gov


 

icea

 

ICEA (Itália) – os cosméticos certificados pelo ICEA não possuem ingredientes geneticamente modificados (GMO), PEG, derivados sintéticos do alumínio e do silicone, etc. Saiba mais em www.icea.info

 

 

bdih

 

BDIH (Alemanha) – os cosméticos certificados pelo BDIH não possuem fragrâncias e corante sintéticos, silicones, parafinas e outros produtos petrolíferos, etc. Saiba mais em www.kontrollierte-naturkosmetik.de

 

 

vegansociety

 

Vegan society - a certificação Vegan é colocada em produtos que não têm ingredientes de origem animal. Saiba mais em www.vegansociety.com


PayPal